[Ensino] Antropologia e cinema – 2°S 2016

ANTROPOLOGIA E CINEMA

Jaguar-1967-1.jpg

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO DO SUL – UFMS / CÂMPUS NAVIRAÍ – CPNV / CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS

DISCIPLINA: ANTROPOLOGIA E CINEMA (carga horária: 60)

PROFESSOR: EDNEI DE GENARO, Dr.

OBJETIVOS DA DISCIPLINA:

Introduzir e fomentar reflexões e práticas de estudo antropológico a partir da linguagem audiovisual. Discutir o papel da imagem enquanto objeto de estudo antropológico. Estudar diferentes modelos narrativos fílmicos, clássicos e contemporâneos, de produção de conhecimentos antropológicos. Enfocar algumas das formas de exploração estética/etnográficas: 1- registros etnográficos, 2- abordagens comparativas, 3- etno-cartográficas urbanas, 4- “auto-imagem” e 5- formas imersivas. Estimular e ajudar os alunos a construírem curtas-metragens e análises fílmicas (modos avaliativos).

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

Apresentação do curso

            [Cultura visual e antropologia]

NOVAES, Sylvia Caiuby. Imagem, magia e imaginação: desafios ao texto antropológico. In: Mana, 14 (2), 455-475, 2008.

FREIRE, Marcius; LOURDOU, Philippe. Introdução (p.9-23). In: Freire & Lourdou (org.). Descrever o visível: cinema documentário e antropologia fílmica. São Paulo: Estação Liberdade, 2009.

BLOCO I – Modelos clássicos cine-etnográficos

Pioneiro: Robert Flaherty

Nanook, o esquimó (Nanook of the north, 1922, 79’)

Nanookw_original

FLAHERTY, Robert. Como filmei Nanook do Norte. In: Catálogo do Forumdoc.BH, 2011. 15° Festival do filme documentário e etnográfico / Fórum de antropologia, cinema e vídeo;

BRAGANÇA, Felipe. Verdades re-encenadas. In: site Contracampo (http://www.contracampo.com.br/sessaocineclube/nanookoesquimo.htm).

Tradição francesa: Jean Rouch

Os mestres loucos (Les maîtres fous, 1954, 36’) + Jaguar (1967, 80’.)

12-maitres-fous1.jpg

SZTUTMAN, Renato. Jean Rouch, um antropólogo-cineasta (p.49-62). In: Novaes, S. C. et al. (org.). Escrituras da imagem. São Paulo: Edusp, 2004.

GONÇALVES, Marco Antônio. O Real Imaginado – etnografia, cinema e surrealismo em Jean Rouch. (Leitura dos capítulos: “Filme-ritual e etnografia surrealista: os mestres loucos de Jean Rouch” + “Jaguar: etnobiografia ou ‘cinema etnográfico em primeira pessoa’”)

Tradição inglesa: John Marshall

Os caçadores (The Hunters, 1958, 38’, doc.)

the-hunters.jpg

Texto geral: MARTINS, Humberto. “Sobre o lugar e os usos das imagens na antropologia”. Etnográfica, vol. 17, n°2, 2013.

BLOCO II – Registros fílmicos e incursões antropológicas

Werner Herzog [cultura versus natureza]

O homem urso (Grizzly Man, 2005, 143’, doc.)

grizzlyman

SZTUTMAN, Renato. “Natureza & Cultura, versão americanista – Um sobrevoo”. Revista Ponto Urbe (online), n°4, 2009, p.1-18.

Texto complementar: SÁ JÚNIOR, Luiz C. “Philipe Descola e a virada ontológica na antropologia”. Revista Ilha, v. 16, n. 2, p. 7-36, ago./dez., 2014.

Vicent Carelli [índio, política, território]

Corumbiara (2009, 117’, doc.)

foto-corumbiara-02_cred-vincent-carelli.jpg

CAIXETA, Ruben. Entrevista com Vincent Carelli. Catálogo Forumdoc.BH. 13° Festival do Filme Documentário e Etnográfico, 2009 (10p., online).

LOPES, Fabiana F. “Corumbiara” (p. 61-90). In: Lopes, F. F., Serras da desordem e Corumbiara: a reconstituição do passado e a memória dos vencidos. Dissertação de Mestrado. ECA-USP, 2013.

BLOCO III – Antropologia visual comparada

Harun Farocki

Em comparação (Zum Vergleich, 2009, 61’)

0000021491

BLOCO IV – Antropo-cartografias urbanas

[Obs.: 11/02: entrega de uma análise fílmica e início da confecção de curta].

Gabriel Mascaro [documentário]

Avenida Brasília Formosa (2009, 85’, doc.)

Avenida_Brasília_Formosa_01.jpg

Texto: BRASIL, André & MESQUITA, Claúdia. “O meio bebeu o fim, como o mata-borrão bebe a tinta”.

Kleber Mendonça Filho [ficção]

Aquarius (2016, 146’, ficção)

Aquarius.jpeg

Texto geral do bloco: Rancière – “Desventura do pensamento crítico”. In: O espectador emancipado.

* * *

[DISCUSSÕES A PARTIR DE ESCOLHAS E RESULTADOS DOS TRABALHOS DOS ALUNOS]

“Auto-imagem do povo”, mídia e política

Marcelo Pedroso

Pacific (2009, 79’, doc.)

Harun Farocki

Videogramas de uma revolução (1992, 106’, doc.)

Imersões e cruzamentos estéticos-antropológicos

Ariel Duarte Ortega, Patricia Ferreira

Bicicletas de Nhanderú (2011, 48’)

Texto: Brasil, André (2012) – “Bicicletas de Nhanderu: lascas do extracampo”.

Rodrigo Siqueira

Terra Deu, Terra Come (2010, 88’)

Rubens Caixeta de Queiroz

História de Mawary (2009, 56’)

Texto: Brasil, André (2012) – “O olho do mito: perspectivismo em Histórias de Mawary”.

Lima, G. Motta, L. Garcia dos Santos, S. Senra, B. Albert

Xapiri (2012, Brasil, 54’).

Fausto, L. Sette, T. Kuikuro

As hiper mulheres (2011, 80’)

 

METODOLOGIA / AVALIAÇÃO:

  • Método pedagógico: exposição-dialogada de textos; discussões abertas de filmes; trabalho em grupo com linguagem audiovisual.

Avaliação:

  • Confecção de análise fílmica (peso 1). O aluno será convocado a realizar um texto de análise (mín. 3 folhas, Times New Roman, 12, espaçamento 1,5) de qualquer documentário trabalhado em sala de aula. O professor discutirá técnicas de análise possíveis.
  • Confecção de curta-metragem etnográfico (peso 1). A partir das discussões a respeito do “olhar antropológico-cinematográfico”, os alunos realizarão, em grupos, um vídeo de observação de algum ambiente.

 

ATIVIDADE PEDAGÓGICA DE RECUPERAÇÃO:

A Recuperação de Desempenho em Avaliações será realizada por meio de trabalhos e atividades ao longo das aulas e de Avaliação Substitutiva / Optativa no final do Semestre Letivo.

BIBLIOGRAFIA:

BARBOSA, Andréa; CUNHA, Edgar Teodoro; HIKIJI, Rose Satiko Gitirana. Imagem-Conhecimento: antropologia, cinema e outros diálogos. Campinas: Papirus, 2009.

BERGER, John. Modos de ver. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

BERNARDET, Jean-Claude. Cineastas e imagens do povo. São Paulo: Brasiliense, 1985.

CAIXETA DE QUEIROZ, R. Cineastas indígenas e pensamento selvagem. Revista Devires, Belo Horizonte, v. 5, n. 2, jul./dez. 2008, p.117.

CAMPOS, Ricardo. A cultura visual e o olhar antropológico. In: Revista Visualidades, Goiânia, v.10 n.1 p. 17-37, jan-jun, 2012.

CUNHA, E. T. da & BARBOSA, A. Antropologia e imagem. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.

FREIRE, Marcius; LOURDOU, Philippe (Org). Descrever o visível: cinema documentário e antropologia fílmica. São Paulo: Estação Liberdade, 2009.

GOMES PEREIRA, Pedro Paulo. Cinema e antropologia: um esboço cartográfico em três movimentos. In: Cadernos de Antropologia e Imagem, 10(1), p.51-69, 2000.

GONÇALVES, Marco Antônio. O Real Imaginado – etnografia, cinema e surrealismo em Jean Rouch. Rio de Janeiro: Topbooks, 2008.

GONÇALVES, Marco Antônio; HEAD, Scott. (Org). Devires imagéticos: a etnografia, o outro e suas imagens. Rio de Janeiro: 7 letras, 2009.

HEIDER, Karl G. Uma história do filme etnográfico. In: Cadernos de Antropologia e Imagem, n.1, Rio de Janeiro, 1995.

HIKIJI, Rose S. G. Antropólogos vão ao cinema – observações sobre a constituição do filme como campo. Cadernos de Campo, 7 (7), p.91-113, 1998.

MACDOUGALL, Davis. O filme etnográfico. In: Cadernos de campo, São Paulo, n. 16, p. 1-304, 2007

NOVAES, S. C. et al. (org.). Escrituras da imagem. São Paulo: Edusp, 2004.

NOVAES, Sylvia Caiuby. Imagem, magia e imaginação: desafios ao texto antropológico. Mana, Rio de Janeiro, v. 14, n. 2, pp. 455-475, out. 2008.

RIAL, Carmen Sílvia. Por uma antropologia do visual. In: Horizontes Antropológicos, Porto Alegre: PPGAS, UFRGS, n.2, 1995.

ROCHA, Ana Luiza Carvalho da. Antropologia das formas sensíveis: entre o visível e o invisível, a floração de símbolos. In: Horizontes Antropológicos, Antropologia Visual, ano l, v. 2, l995.

ZOETTL, Peter Anton. Aprender cinema, aprender antropologia. In: Revista Etnográfica, v.15 (1), fev., p.185-198, 2011.

Artigos de análise crítica de filmes – a ser complementado e disponibilizado via email):

BRASIL, André. Caçando capivara: com o cinema-morcego dos Tikmũ’ũn. In: Revista Eco-Pós, vol.19, n°02, 2016, p.140-153.

BRASIL, André. O olho do mito: perspectivismo em Histórias de Mawary. In: Revista Eco-Pós, vol. 15 n°03, 2012.

PIALT, Marc-Henri. Uma antropologia-diálogo: a propósito do filme de Jean Rouch Moi, un Noir. In: Cadernos de Antropologia e Imagem, vol.4.

CAIXETA, Ruben. Entrevista com Vincent Carelli. Catálogo Forumdoc.BH. 13° Festival do Filme Documentário e Etnográfico, 2009 (10p., online).

LOPES, Fabiana F. “Corumbiara” (p. 61-90). In: Lopes, F. F., Serras da desordem e Corumbiara: a reconstituição do passado e a memória dos vencidos. Dissertação de Mestrado. ECA-USP, 2013.

SZTUTMAN, Renato. “Natureza & Cultura, versão americanista – Um sobrevoo”. Revista Ponto Urbe (online), n°4, 2009, p.1-18.

SÁ JÚNIOR, Luiz C. “Philipe Descola e a virada ontológica na antropologia”. Revista Ilha, v. 16, n. 2, p. 7-36, ago./dez., 2014.

Sites de eventos, acervos e/ou divulgação de antropologia e cinema:

Documentários latino-americanos (http://curtadoc.tv/acervo/)

Vídeo nas Aldeias (http://www.videonasaldeias.org.br/2009/)

É tudo verdade – Festival Internacional de Documentários (http://etudoverdade.com.br/br/home/)

Forumdoc.BH – Festival / Fórum de antropologia e cinema (http://forumdoc.org.br/)

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: