[Ensino] Antropologia e cinema – 2°S 2016

ANTROPOLOGIA E CINEMA

Jaguar-1967-1.jpg

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO DO SUL – UFMS / CÂMPUS NAVIRAÍ – CPNV / CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS

DISCIPLINA: ANTROPOLOGIA E CINEMA (carga horária: 60)

PROFESSOR: EDNEI DE GENARO, Dr.

OBJETIVOS DA DISCIPLINA:

Introduzir e fomentar aos alunos reflexões e práticas de estudo antropológico a partir da linguagem audiovisual. Discutir o papel da imagem enquanto objeto de estudo antropológico. Estudar diferentes modelos narrativos fílmicos, clássicos e contemporâneos, de produção de conhecimentos antropológicos. Enfocar algumas das formas de exploração estética/etnográficas: 1- registros etnográficos, 2- abordagens comparativas, 3- etno-cartográficas urbanas, 4- “auto-imagem” e 5- formas imersivas. Estimular e ajudar os alunos a construírem curtas-metragens e análises fílmicas (modos avaliativos).

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

Apresentação do curso

            [Cultura visual e antropologia]

NOVAES, Sylvia Caiuby. Imagem, magia e imaginação: desafios ao texto antropológico. In: Mana, 14 (2), 455-475, 2008.

FREIRE, Marcius; LOURDOU, Philippe. Introdução (p.9-23). In: Freire & Lourdou (org.). Descrever o visível: cinema documentário e antropologia fílmica. São Paulo: Estação Liberdade, 2009.

BLOCO I – Modelos clássicos cine-etnográficos

Pioneiro: Robert Flaherty

Nanook, o esquimó (Nanook of the north, 1922, 79’)

FLAHERTY, Robert. Como filmei Nanook do Norte. In: Catálogo do Forumdoc.BH, 2011. 15° Festival do filme documentário e etnográfico / Fórum de antropologia, cinema e vídeo;

BRAGANÇA, Felipe. Verdades re-encenadas. In: site Contracampo (http://www.contracampo.com.br/sessaocineclube/nanookoesquimo.htm).

Tradição francesa: Jean Rouch

Os mestres loucos (Les maîtres fous, 1954, 36’) + Jaguar (1967, 80’.)

SZTUTMAN, Renato. Jean Rouch, um antropólogo-cineasta (p.49-62). In: Novaes, S. C. et al. (org.). Escrituras da imagem. São Paulo: Edusp, 2004.

GONÇALVES, Marco Antônio. O Real Imaginado – etnografia, cinema e surrealismo em Jean Rouch. (Leitura dos capítulos: “Filme-ritual e etnografia surrealista: os mestres loucos de Jean Rouch” + “Jaguar: etnobiografia ou ‘cinema etnográfico em primeira pessoa’”)

Tradição inglesa: John Marshall

Os caçadores (The Hunters, 1958, 38’, doc.)

Texto geral: MARTINS, Humberto. “Sobre o lugar e os usos das imagens na antropologia”. Etnográfica, vol. 17, n°2, 2013.

BLOCO II – Registros fílmicos e incursões antropológicas

Werner Herzog [cultura versus natureza]

O homem urso (Grizzly Man, 2005, 143’, doc.)

SZTUTMAN, Renato. “Natureza & Cultura, versão americanista – Um sobrevoo”. Revista Ponto Urbe (online), n°4, 2009, p.1-18.

Texto complementar: SÁ JÚNIOR, Luiz C. “Philipe Descola e a virada ontológica na antropologia”. Revista Ilha, v. 16, n. 2, p. 7-36, ago./dez., 2014.

Vicent Carelli [índio, política, território]

Corumbiara (2009, 117’, doc.)

CAIXETA, Ruben. Entrevista com Vincent Carelli. Catálogo Forumdoc.BH. 13° Festival do Filme Documentário e Etnográfico, 2009 (10p., online).

LOPES, Fabiana F. “Corumbiara” (p. 61-90). In: Lopes, F. F., Serras da desordem e Corumbiara: a reconstituição do passado e a memória dos vencidos. Dissertação de Mestrado. ECA-USP, 2013.

BLOCO III – Antropologia visual comparada

Harun Farocki

Em comparação (Zum Vergleich, 2009, 61’)

BLOCO IV – Antropo-cartografias urbanas

[Obs.: 11/02: entrega de uma análise fílmica e início da confecção de curta].

Gabriel Mascaro [documentário]

Avenida Brasília Formosa (2009, 85’, doc.)

Texto: BRASIL, André & MESQUITA, Claúdia. “O meio bebeu o fim, como o mata-borrão bebe a tinta”.

Kleber Mendonça Filho [ficção]

Aquarius (2016, 146’, ficção)

Texto geral do bloco: Rancière – “Desventura do pensamento crítico”. In: O espectador emancipado.

 

BLOCO V – “Auto-imagem do povo”, mídia e política

Marcelo Pedroso

Pacific (2009, 79’, doc.)

Texto: (a ser oferecido)

Harun Farocki

Videogramas de uma revolução (1992, 106’, doc.)

Textos: (a ser oferecido)

BLOCO VI – Imersões e intercruzamentos estéticos-antropológicos

[Opções de obras]

Ariel Duarte Ortega, Patricia Ferreira

Bicicletas de Nhanderú (2011, 48’)

Texto: Brasil, André (2012) – “Bicicletas de Nhanderu: lascas do extracampo”.

Rodrigo Siqueira

Terra Deu, Terra Come (2010, 88’)

Texto: (a ser oferecido)

Rubens Caixeta de Queiroz

História de Mawary (2009, 56’)

Texto: Brasil, André (2012) – “O olho do mito: perspectivismo em Histórias de Mawary”.

Lima, G. Motta, L. Garcia dos Santos, S. Senra, B. Albert

Xapiri (2012, Brasil, 54’).

Texto: Garcia dos Santos, L. (2015)

Fausto, L. Sette, T. Kuikuro

As hiper mulheres (2011, 80’)

Texto: (a ser oferecido)

 

METODOLOGIA / AVALIAÇÃO:

  • Método pedagógico: exposição-dialogada de textos; discussões abertas de filmes; trabalho em grupo com linguagem audiovisual.

Avaliação:

  • Confecção de análise fílmica (peso 1). O aluno será convocado a realizar um texto de análise (mín. 3 folhas, Times New Roman, 12, espaçamento 1,5) de qualquer documentário trabalhado em sala de aula. O professor discutirá técnicas de análise possíveis.
  • Confecção de curta-metragem etnográfico (peso 1). A partir das discussões a respeito do “olhar antropológico-cinematográfico”, os alunos realizarão, em grupos, um vídeo de observação de algum ambiente.

 

ATIVIDADE PEDAGÓGICA DE RECUPERAÇÃO:

A Recuperação de Desempenho em Avaliações será realizada por meio de trabalhos e atividades ao longo das aulas e de Avaliação Substitutiva / Optativa no final do Semestre Letivo.

BIBLIOGRAFIA:

BARBOSA, Andréa; CUNHA, Edgar Teodoro; HIKIJI, Rose Satiko Gitirana. Imagem-Conhecimento: antropologia, cinema e outros diálogos. Campinas: Papirus, 2009.

BERGER, John. Modos de ver. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

BERNARDET, Jean-Claude. Cineastas e imagens do povo. São Paulo: Brasiliense, 1985.

CAIXETA DE QUEIROZ, R. Cineastas indígenas e pensamento selvagem. Revista Devires, Belo Horizonte, v. 5, n. 2, jul./dez. 2008, p.117.

CAMPOS, Ricardo. A cultura visual e o olhar antropológico. In: Revista Visualidades, Goiânia, v.10 n.1 p. 17-37, jan-jun, 2012.

CUNHA, E. T. da & BARBOSA, A. Antropologia e imagem. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.

FREIRE, Marcius; LOURDOU, Philippe (Org). Descrever o visível: cinema documentário e antropologia fílmica. São Paulo: Estação Liberdade, 2009.

GOMES PEREIRA, Pedro Paulo. Cinema e antropologia: um esboço cartográfico em três movimentos. In: Cadernos de Antropologia e Imagem, 10(1), p.51-69, 2000.

GONÇALVES, Marco Antônio. O Real Imaginado – etnografia, cinema e surrealismo em Jean Rouch. Rio de Janeiro: Topbooks, 2008.

GONÇALVES, Marco Antônio; HEAD, Scott. (Org). Devires imagéticos: a etnografia, o outro e suas imagens. Rio de Janeiro: 7 letras, 2009.

HEIDER, Karl G. Uma história do filme etnográfico. In: Cadernos de Antropologia e Imagem, n.1, Rio de Janeiro, 1995.

HIKIJI, Rose S. G. Antropólogos vão ao cinema – observações sobre a constituição do filme como campo. Cadernos de Campo, 7 (7), p.91-113, 1998.

MACDOUGALL, Davis. O filme etnográfico. In: Cadernos de campo, São Paulo, n. 16, p. 1-304, 2007

NOVAES, S. C. et al. (org.). Escrituras da imagem. São Paulo: Edusp, 2004.

NOVAES, Sylvia Caiuby. Imagem, magia e imaginação: desafios ao texto antropológico. Mana, Rio de Janeiro, v. 14, n. 2, pp. 455-475, out. 2008.

RIAL, Carmen Sílvia. Por uma antropologia do visual. In: Horizontes Antropológicos, Porto Alegre: PPGAS, UFRGS, n.2, 1995.

ROCHA, Ana Luiza Carvalho da. Antropologia das formas sensíveis: entre o visível e o invisível, a floração de símbolos. In: Horizontes Antropológicos, Antropologia Visual, ano l, v. 2, l995.

ZOETTL, Peter Anton. Aprender cinema, aprender antropologia. In: Revista Etnográfica, v.15 (1), fev., p.185-198, 2011.

Artigos (específicos – a ser completado e disponibilizados via email…):

BRASIL, André. Caçando capivara: com o cinema-morcego dos Tikmũ’ũn. In: Revista Eco-Pós, vol.19, n°02, 2016, p.140-153.

BRASIL, André. O olho do mito: perspectivismo em Histórias de Mawary. In: Revista Eco-Pós, vol. 15 n°03, 2012.

PIALT, Marc-Henri. Uma antropologia-diálogo: a propósito do filme de Jean Rouch Moi, un Noir. In: Cadernos de Antropologia e Imagem, vol.4.

CAIXETA, Ruben. Entrevista com Vincent Carelli. Catálogo Forumdoc.BH. 13° Festival do Filme Documentário e Etnográfico, 2009 (10p., online).

LOPES, Fabiana F. “Corumbiara” (p. 61-90). In: Lopes, F. F., Serras da desordem e Corumbiara: a reconstituição do passado e a memória dos vencidos. Dissertação de Mestrado. ECA-USP, 2013.

SZTUTMAN, Renato. “Natureza & Cultura, versão americanista – Um sobrevoo”. Revista Ponto Urbe (online), n°4, 2009, p.1-18.

SÁ JÚNIOR, Luiz C. “Philipe Descola e a virada ontológica na antropologia”. Revista Ilha, v. 16, n. 2, p. 7-36, ago./dez., 2014.

Sites de eventos, acervos e/ou divulgação de antropologia e cinema:

Documentários latino-americanos (http://curtadoc.tv/acervo/)

Vídeo nas Aldeias (http://www.videonasaldeias.org.br/2009/)

É tudo verdade – Festival Internacional de Documentários (http://etudoverdade.com.br/br/home/)

Forumdoc.BH – Festival / Fórum de antropologia e cinema (http://forumdoc.org.br/)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: